Se um feminino olhar formoso e brando
por estas folhas perpassou, bondoso,
e, aos poucos, doce e triste, foi sondando
deste meu coração o antro lodoso;

se viu das mágoas o agoureiro bando
abafar os meus cânticos de gozo
e, em rugidos sinistros ululando,
das blasfêmias o coro doloroso,

— que o saiba desse olhar a chama casta
— em minh’alma sem fé, perdida e gasta,
há lugares talvez puros ainda...

— Quereis vê-los brilhando claramente?
— Dai-me, sublime luz! a luz ardente
de uma nobre afeição sincera e infinda!