Embora o Sol em flavas flamas arda,
Quente enrubesça a Terra e queime o Trigo,
Logo que chega a Noite e a Luz encarda,
Abres à Vida o teu honesto abrigo.

É lá que empós as Glórias e o Perigo
A Alma repousa — se o carinho tarda —
Velada apenas desse Olhar amigo
E da ronda cristã de Anjos da Guarda.

Companheiro do Tédio e do Cansaço
Surges sereno e vagaroso abrindo
Um carinho de sombras pelo Espaço.

A Alma repousa envolta em denso Véu,
Esquecida do mundo atroz — fruindo
A Saudade nostálgica do Céu.