(Castro Alves)
Speak; I am bound to hear
Shakespeare

Bota — sobre as espumas flutuantes
Do oceano do tempo — acalentado;
E foge assim pela maré levado,
Ao hino das estrelas cintilantes.


Eco apenas dos cânticos gigantes,
Que em chamas ideais tinha moldado;
Das mãos caiu-lhe a lira de ouro, em antes
De ter os mundos, que sonhou, formado.

Que epopeias lhe andaram pela fronte, 
Como vulcões a arder num vasto monte!...
Ergueu-se na atitude de um colosso.

No oceano do tempo hoje enfim dorme;
E a sombra, que deixou, a sombra enorme
Viu-se que era a de um sol, morrendo o moço.