Dum profundo letargo me levanto
E ainda sinto um lânguido quebranto.
Sou, não era e contudo me parece
Que sempre fui. Oh quem fará que cesse
Este mistério tão remoto e escuro
Que em vão com o pensamento ver procuro,
Pois não sei apesar de todo empenho
Quem sou, aonde vou nem donde venho.