ALMA divina,
por onde me andas?
Noite sòzinha,
lágrimas, tantas!

Que sôpro imenso,
alma divina,
em esquecimento
desmancha a vida!

Deixa-me ainda
pensar que voltas,
alma divina,
coisa remota!

Tudo era tudo
quando eras minha,
e eu era tua,
alma divina!