Machado de Assis

(Imitação de Cowper) Quanto eu, pobre de mim! quanto eu quisera Viver feliz com minha mãe também! C. A. DE SÁ Quem foi que o berço me embalou da infância Entre as doçuras que do empíreo vêm? E nos bei...
16 abr. 1895 A bela dama ruiva e descansada, De olhos longos, macios e perdidos, C'um dos dedos calçados e compridos Marca a recente página fechada. Cuidei que, assim pensando, assim colada Da fina te...
1891 Entra cantando, entra cantando, Apolo! Entra sem cerimônia, a casa é tua; Solta versos ao sol, solta-os à lua, Toca a lira divina, alteia o colo. Não te embarace esta cabeça nua; Se não possui as...
Se eu fora poeta de um estro abrasado Quisera teu lindo semblante cantar; Gemer eu quisera bem junto a teu lado, Se eu fora uma onda serena do mar; Se eu fora uma rosa de prado relvoso, Quisera essa c...
Viens, je suis dans la nuit, mais je puis voir le jour! VICTOR HUGO Oh! se eu pudesse respirar num beijo O teu hálito ardente e vaporoso. E na febre do amor e do delírio Sobre o teu seio estremecer de...
A FRANCISCO GONÇALVES BRAGA Como é linda e verdejante Esta palmeira gigante Que se eleva sobre o monte! Como seus galhos frondosos S’elevam tão majestosos Quase a tocar no horizonte! Ó palmeira, eu te...
Oh! si elle m'eût aimé! A. DE VIGNY Se ela soubesse por que tremo às vezes Como um junco nas bordas de um regato; E àquele olhar de uma volúpia ardente Fecho os meus pobres olhos de insensato. Se ela...
Voulez-vous du français, ou bien de notre langue? Uma e outra lhe dou, Francisca, e não se zangue Car pour dire d’un beau visage et son esprit, Um nome basta — o seu — ce nom tout seu! suffit!
Vem, meu Cognac, meu licor d’amores!... É longo o sono teu dentro do frasco; Do teu ardor a inspiração brotando O cérebro incendeia!... Da vida a insipidez gostoso adoças; Mais val um trago teu que mi...
1859 Em teu caminho tropeçaste — agora! Cala esse pranto, minha pobre flor. Caída mesmo — tropeçando embora, Conserva a alma um último pudor. Deve ser grande esse martírio lento... Já nos espinhos a m...
E ainda, ninfas minhas, não bastava... CAMÕES, Lusíadas, VII, 81. I Vês um féretro posto em solitária igreja? Esse pó que descansa, e se esconde, e se some, Traz de um grande ministro o formidável nom...
Em seus lábios um sorriso É a luz do paraíso. GARRET Não sabes, virgem mimosa, Quanto sinto dentro d'alma Quando sorris tão formosa Sorriso que traz-me a calma: Brando sorriso d'amores Que se desliza...
Amanhã quando a lâmpada da vida Na minha fronte se apagar, tremendo, Ao sopro do tufão, Oh! derrama uma lágrima sincera Sobre o meu peito macilento e triste, E reza uma oração! Será uma saudade verdad...
É um canto de irmão. Crispam meus lábios Entusiasmado, convulsões cruéis! Toma esta lira; consagrei-a aos bravos; Não na mancharam saturnais de escravos, As opressões dos reis. Uma idéia vital pulsa-l...
Viva o dia onze de junho, Dia grande, dia rico, Batalha do Riachuelo, Dia dos anos do Tico.
A Musa, que inspira meus tímidos cantos, É doce e risonha, se amor lhe sorri; É grave e saudosa, se brotam-lhe os prantos. Saudades carpindo, que sinto por ti. A Musa, que inspira-me os versos nascido...
C'est que j'ai recontré des regards dont la flamme Semble avec mes regards ou briller ou mourir. E. DESCHAMPS Uns olhos me enfeitiçaram, Uns olhos... foram os teus. Falaram tanto de amores Embebidos s...
Ilustríssimo, caro e velho amigo, Saberás que, por um motivo urgente, Na quinta-feira, nove do corrente, Preciso muito de falar contigo. E aproveitando o portador te digo, Que nessa ocasião terás pres...
Um anjo desejei ter a meu lado... E o anjo que sonhei achei-o em ti!... C. A. DE SÁ És um anjo d’amor — um livro d’ouro, Onde leio o meu fado És estrela brilhante do horizonte Do Bardo enamorado Foste...
Adeus! é o meu suspiro derradeiro! É a última ilusão que me embebia! Apagou-se-me o sol das esperanças E veio a noite sepulcral sombria... Adeus..., perdoa a um doido apaixonado Uma hora de ilusão e d...
Load more...