Luis Delfino
(Castro Alves) Speak; I am bound to hear Shakespeare Bota — sobre as espumas flutuantes Do oceano do tempo — acalentado; E foge assim pela maré levado, Ao hino das estrelas cintilantes. Eco apenas dos...
(Luís Guimarães) Na primeira página do livro Sonetos e Rimas Como vedes, deixo O vosso canto, e o meu juízo escrito... Diogo Bernardes — Égloga Ó minha doce amiga, abre-me o seio, Onde eu pouse um mom...
(Gonçalves Crespo) I Born for immortality. Wordsworth — Sonnet Logo que se espalhou o caso triste, Vestiram crepe as musas brasileiras, E ao choro do olivedo, em que caíste, Juntou-se a dor das lângui...
E, come a buon cantor, buon citarista Fa seguitar lo guizzo della corda In che più de piacer lo canto acquista. Dante — Paradiso. Ouçamo-lo cantar. — No mês das flores A voz gentil tem matinal frescur...
(Pedro Luís) Dê-me uma grande lágrima a procela, Talhada como um bloco de granito, Olhos postos no céu e no infinito Eu levantara a sua estátua nela. Que vulto augusto, que figura bela, Que herói, que...
(José de Alencar) — Que fazes tu, em meio do caminho, Loureiros ideais amontoando? Olha... com astros já formei teu ninho: Vem dormir... inda há dia, e estás suando. Falou-lhe a morte assim com tal ca...
(José Maria do Amaral) O Altitudo! São Paulo. Oh! quando o via pela rua adiante, A fronte nua, lívida, sulcada, O olhar severo, o porte de gigante, Mas, sobretudo, a coma prateada, Como em cascata, ao...
(Artur Barreiros) Ferido o corpo, o espírito esmagado No prélio, — como em dia de batalha Em nau já curva ao vento, que farfalha, Bandeira solta em mastro escalavrado Rufando, dentro em pé inda o sold...
(Pereira da Costa) Oh! quando, o último instante, o achei na cama, Branca a face, sem cor... da cor da cera, Alheado, estranho, vi por vez primeira Faltar-lhe aos olhos a divina chama. Atravessava um...
(Agostinho Mota) Se ele ouvisse na sua sepultura A tua voz sentida e suspirosa Chorar-lhe a morte triste e prematura... De cada branca pérola mimosa, Não só mimosa, virginal e pura, Ele fizera a tela...
(João Caetano) Como uma estrela monstruosa, o drama Lança as garras na cena e se dilata, E quando a cauda de clarões desata, Como leões fugindo aos antros, brama. Quer-se um atleta então, que o horror...
(Almeida Reis) Trouxe um dia uma fada as brancas mãos coalhadas De quanta pedraria ela escondido tinha; Todo o escrínio real da rainha das fadas, Que inveja causaria à mais nobre rainha!... Tinha tamb...
(F. A. de Carvalho Júnior) Morreu por vós, esplêndidas falenas: Em vós viveu, cativo e delirante! Como era belo ter esse gigante Preso, a estorcer-se em vossas mãos pequenas. Do ardente sonhador, na a...
For a time farewell... Byron — Manfred Pois que é verdade, adeus, ó companheiro... Puseste a lira de ouro a tiracolo, E num ginete pálido e ligeiro Foste com o anjo que te leva ao colo. Hei de dizer à...
The mind is its own place, and in itself Can make a Heaven of Hell, a Hell of Heaven. Milton — Paradise Lost Alteia o canto. — Lúgubre e sombrio El-Rei, vesgos os olhos de loucura, Sentindo o horror d...
(Victor Meireles) Foste, a hora bateu, irmão de Urbino, Juntar-te ao mestre na celeste esfera: Para ficar com teu pincel divino, Ninguém ousou dizer à morte: — Espera. Pisando o pé no solo eterno, o h...
O mar!... o mar!... o mar!...a arena das procelas, Onde o tufão sacode as rábidas lufadas, Onde o raio revolve as eternas querelas, Onde respondem logo as vagas convulsadas, Onde as asas se veem das g...
— Donde vem essa barca auribordada, Como entre flores peregrino altar, Por briosos cavalos arrancada? Espumam, como quando corre o mar. Quem vem nela? A que terras é levada? Em que oceano profundo a i...
Eram dois jovens, cada qual mais belo: Um tinha na alma o inferno derretido, Noutro havia nos olhos buliçosos A noite, e um céu de estrelas suspendido. Contudo parecia que brincava Neles a graça da es...
De ver-te, pois, sabe disto, Não perco nenhum ensejo, Que te vejo, e que te hei visto, Mesmo quando não te vejo. Sou como um cego, e perdido Na densa treva, em que luto, Em cada rumor escuto O ranger...
Saí de sua alcova a passo lento e morno, Onde a deixei velando A irmãzinha doente: olhei depois em torno, O dia ia baixando: O corredor escuso em meia sombra estava, No fim descia a escada: Na minha m...
I saw thee weep. Byron — Hebrew Melodies Sabei, astros gentis, sabei, lindas auroras, Sabei que ELA chorou! Ó dor, pois ao teu dente agudo, em poucas horas, Seu mármore estalou? Dos longos cílios seus...
Ah! se algum dia sentisse A sombra de tua mão, Como de ave, que fugisse, Em meus cabelos — então Pudera dizer-te: — Filha, Morrer... pois agora.. sim!... Que à sombra da mancenilha Tem-se igual gozo e...
Quantas vezes pressentimos Um fato que se vai dar, E que choramos, ou rimos, Sem saber o que contar... Um dia estava com ela... Tão triste estava eu então, Que me disse a virgem bela: — Triste está? P...
... Porque enfim tu lhe disseste Que a curva da sua mão, É como a curva celeste, Onde há o raio e o trovão, E o sol de dia, e de noite Os belos astros gentis! Há quem a tanto se afoite? Isto a gente n...
Podes não ter um único sorriso, Que se desprenda do teu lábio puro. E, como um astro, que atravessa o escuro Da noite, que me cerca, e cobre, e piso, Vir até mim; eu creio: — isso que importa? Também...
Ele dizia: — Pouco me custara, O que deveras custa, Forrar de pedras da calçada a cara, Ter a ciência austera de Locusta, Saber o modo de arranjar venenos De alguma estranha planta, Dá-los, num bródio...
Fremem dentro de mim asas, mais asas, Turbilhões mesmo de asas, como pode Da terra erguer o vento, que sacode Um pó da areia, quando tu me abrasas Com teu olhar de chama aveludada, Que me envolve em s...
(A C. G.) Depois de ter recitado em cena. O Legendário Hão de as palmas cair de toda parte, Há de sorrir-te a musa da harmonia, E à luz do palco, então melhor que o dia, — deusa nova da voz — hão de a...
I A tua mão pequenina, Onde cabe um mundo, eu sei, Bem sei a gente imagina Um mundo na mão de um rei, Foi ao lôbrego escondrilho, Em que rugia um leão; Cegou-o: tanto era o brilho, Que te escorria da...
Não é um leão indômito: imagina Minha alma um sol no espaço, Que se equilibra, gira, anda, ilumina, Que de lá desce à tua mão divina, E acompanha-te a passo: A teus olhos, esplêndidas argolas, Em fio,...
Rolam sem luz, estrelas desmaiadas, Pobres princesas no aflitivo exílio, Já sem as sombras que projeta o cílio Franjado e grande as faces desbotadas. De larva imunda esquálidas falenas Destoucadas de...
Não vês naquela mão a irritabilidade De um pássaro gentil, nervoso e fugitivo? Recua, e voa, e foge à possibilidade De tocá-lo de leve um dedo convulsivo. Como se encrespa um lago e as águas amarrota...
That fools rush where angels fear to tread. Pope Per amica silentia lunae... VIRGÍLIO — ENEIDA I Era à beira do mar um louco. — A vaga Ia após vaga escabelada e a plaga Desciam rindo ou rorejando em p...
O, if thou teach me to believe this sorrow, Teach thou this sorrow how to make me die, And let belief and life encounter so As doth the fury of two desperate men Which in the very meeting fall and die...
Um dia ouvi... (abismo eterno, onde caído Um século jaz, depois de ter ouvido Essa música doce, etérea, inebriante...) Nos meus cabelos o teu lábio palpitante, Como as asas de uma ave a tiritar medros...
A sua casa é como escrínio rutilante De joia de valor: É, como em grande bosque, um pássaro gigante, Onde se ouve cantar lá dentro a todo o instante Um cântico de amor. A sua casa branca é como oculto...
Saí de casa triste e em desalinho, A alma inquieta e turva, o olhar sombrio; E, como sai de um bosque escuro um rio, Fui, levando as imagens do caminho. Anda em vaivém, na faina, muita gente: Abre um...
Andas nesta miséria luminosa, Alma cheia de luz e vagabunda; Busca-te a vida e a flor, e o sol te inunda, E renegas do sol, do céu, da flor: Vives na sombra das florestas virgens: Vais às cidades; nad...
Pois no princípio me afligias muito; Nem sabes tu o que sofri então: Nunca, quando de ti me despedia, Me apertavas a mão... Como moedas de ouro acumuladas Ia numa passando outra estação: Tu me estendi...
Deixaste-me às portas de ouro Do Paraíso: — entreabriste Uma fresta, e quando viste Que na louca embriaguez Eu já estava de entrá-lo, Sem o mais ligeiro abalo Me arremessaste um sorriso, A chave que o...
Ignari hominumque locorumque... Virgílio — Eneida Vem. Há uma ilha ignota Para mim e para ti: Palácios em cada grota, Muita luz no sol que ri... Multa alegria em teus olhos, Muita testa em cada flor:...
(Num álbum) Nel dolce tempo della prima etade... Petrarca — Rime Da vida ó mocidade, ó gentil primavera, Em que tudo é rosal, luz, perfume, sorrir; Em que, pra o moço, é curto o espaço desta esfera, E...
Amor meus, pondus meum. I Quisera à luz dos teus olhos, Pois dela se inundam tanto, Soletrar o livro santo Do teu coração, mulher: Ler nessas páginas rubras, Em que teu sangue crepita, A minha sentenç...
Naquele engano d'alma ledo e cego, Que a Fortuna não deixa durar muito. Camões — Lusíadas I (Tarde de verão) Dejando a los dos iguales Dicha y desdicha... Calderón de la Barca — Comédia Ah! meu bem, e...
É noite. Os astros pelos céus profundos Parecem doidas bocas a cantar; E as vagas murmuravam docemente, E ia por longe em frêmitos o mar... E veio à praia o poeta, a fronte ardente, Queixosa a voz e m...