Lúcio de Mendonça
Os seus olhos são como os das pombas, sem fallar no que está occulto dentro. CÂNTICO DOS CÂNTICOS. Imagina um sorriso de creança, Todo candura, e juncta-lhe a meiguice De um sorriso de mãe ; e tens id...
( A MARTIM FRANCISCO JUNIOR ) É uma deusa lendaria, Gelada perfeição rara, Um primor de estatuaria, Que um grego artista assignára. Parecerá que retrato-a Sem sentimento; que importa ? É uma belleza d...
( A ALFREDO BRANDÃO ) Chamava-se Idalina, e tinha vinte e um annos. Era alva, esbelta, loira .. entre mulher e fada. Diziam que era estranha aos affectos humanos, Pois nunca a viram rir e nem chorar d...
Amo-te muito, Candida creança De olhos divinos, de sorriso casto. No pobre coração enfermo e gasto Os baisamos verteste da esperança. Todo eu te pertenço — o meu futuro, Onde amanhece a gloria entre e...
Quando a fogueira do poente arde E começa um torpor suave e lento, Embebe-se tarnbem o pensamento Na tristeza monótona da tarde. Esbatem-se os contornos; quanto existe Mostra faces suaves, esfumadas....
(ao meu amigo JACINTHO P. DA SILVA FILHO ) Na longa e negra noite em que minh’alma, a pobre, Geme lugubremente, em que a saudade chora, Rompe uma luz incerta e que mal se descobre, Um crepúsculo ainda...
A. DE MUSSET (Ao Dr. Luiz Barboza) Era bella, si a noite adormecida No àdyto sombrio da capella, Onde lhe fez o leito Miguel Angelo, Pode, immovel, ser bella. Era boa, si basta que, passando, A mão ab...