Cecília Meireles

PASSARAM os reis coroados de ouro, e os heróis coroados de louro: passaram por êstes caminhos. Depois, vieram os santos e os bardos. Os santos, cobertos de espinhos. Os poetas, cingidos de cardos
VAIS FICANDO longe de mim como o sono, nas alvoradas; mas há estrêlas sobressaltadas resplandecendo além do fim. Bebo essas luzes sem tristeza, porque sinto bem que elas são o último vinho e o último...
SUBITO pássaro dentro dos muros caído, pálido barco na onda serena chegado. Noite sem braços! Cálido sangue corrido. E imensamente o navegante mudado. Seus olhos densos apenas sabem ter sido. Seu lábi...
HOJE é tarde para os desejos, e nem me interessa mais nada... Cheguei muito depois do tempo em que se pode ouvir dizer: «Oh! minha amada...» O mar imóvel dos teus olhos pode estar bem perto, e defront...
PASSARAM os ventos de Agosto, levando tudo. As árvores humilhadas bateram, bateram com os ramos no chão. Voaram telhados, voaram andaimes, voaram coisas imensas: os ninhos que os homens não viram nos...
A ENGRENAGEM trincou pobre e pequeno inseto. E a hora certa bateu, grande e exata, em seguida. Mas o toque daquele alto e imenso relógio dependia daquela exígua e obscura vida? Ou percebeu siquer, enq...
ESTES MEUS tristes pensamentos vieram de estrêlas desfolhadas pela bôca brusca dos ventos? Nasceram das encruzilhadas, onde os espíritos defuntos põem no presente horas passadas? Originaram-se de assu...
BEM SEI que, olhando p'ra minha cara, p'ra minha bôca, triste e incoerente, p'ros gestos vagos de sombra incerta que hoje sou eu, minha loucura se faz tão clara, minha desgraça tão evidente, minha alm...
BASTA-ME um pequeno gesto feito de longe e de leve, para que venhas comigo e eu para sempre te leve... — mas só êsse eu não farei. Uma palavra caída das montanhas dos instantes desmancha todos os mare...
FINO CORPO, que passeias na minha imaginação como o vento nas areias, serás o rei Salomão? Há um perfume de madeira e uma confusa noção de óleo e nardo, a noite inteira, na minha imaginação. Estendem-...
I A MENINA enfêrma tem no seu quarto formas inúmeras que inventam espantos para seus olhos sem ilusão. Bonecos que enchem as grandes horas de pesadelos, que lhe roubam os olhos, que lhe partem a garga...
NÓS SOMOS como o perfume da flor que não tinha vindo: esperança do silêncio, quando o mundo está dormindo. Pareceu que houve o perfume... E a flor, sem vir, se acabou. Oh! abelha imaginativa! o que o...
QUEM ME leva adormecida por dentro do campo fresco, quando as estrêlas e os grilos palpitam ao mesmo tempo? O céu dorme na montanha, o mar flutua em si mesmo, o tempo que vai passando filtra a sombra...
A VENTANIA misteriosa passou na árvore côr de rosa e sacudiu-a como um véu, um largo véu, na sua mão. Foram-se os pássaros para o céu. Mas as flôres ficaram no chão.
BENTEVÍ que estás cantando nos ramos da madrugada, por muito que tenhas visto, juro que não viste nada. Não viste as ondas que vinham tão desmanchadas na areia, quási vida, quási morte, quási corpo de...
ANDEI pelo mundo no meio dos homens: uns compravam joias, uns compravam pão. Não houve mercado nem mercadoria que seduzisse a minha vaga mão. Calado, Calado, me diga, Calado por onde se encontra minha...
OS MENDIGOS maiores não dizem mais, nem fazem nada. Sabem que é inútil e exaustivo. Deixam-se estar. Deixam-se estar. Deixam-se estar ao sol e à chuva, com o mesmo ar de completa coragem, longe do cor...
TEU NOME é quási indiferente e nem teu rôsto já me inquieta. A arte de amar é exatamente a de ser poeta. Para pensar em ti, me basta o próprio amor que por ti sinto: és a idea, serena e casta, nutrida...
NINGUÉM abra a sua porta para ver que aconteceu: saímos de braço dado, a noite escura mais eu. Ela não sabe o meu rumo, eu não lhe pergunto o seu: não posso perder mais nada, si o que houve já se perd...
EU FUI a de mãos ardentes que, triste de ser nascida, fui subindo altas vertentes para a vida. E perguntava, à subida: «Ó mãos, porque sois ardentes?» Água fina que descia, flor em pedras debruçada, n...
Load more...