Poesias em destaque

 

Carlos Drummond de Andrade

A gente passa, a gente olha, a gente pára e se extasia. Que aconteceu com esta cidade da noite para o dia? O Rio de Janeiro virou flor nas praças, nos jardins dos edifícios, no Parque do Flamengo...

Alphonsus de Guimaraens

Tantas serpentes vi pelos meus calcanhares Em rolos, e tal era a fúria dos seus botes, E tantas rãs coaxando, e as vozes familiares De outros muitos répteis a pular aos pinotes: Tantos monstros, que...

Cruz e Souza

Os sentimentos servem de atalaias Para guiar as multidões errantes Que caminham tremendo, vacilantes Pelas desertas, infinitas praias... Abrangendo da Terra as fundas raias, Atingindo as esferas...

Artur Lobo

Dona Inês vem a desoras ao parque do seu solar. Tão pálida! Por que choras, princesa do Montealvar? Estrela, por que descoras, Por que palpitas, luar? Canta o amor, e a cotovia sente-se errante pelo...